segunda-feira, 7 de abril de 2014

Um "doce" canalha - Parte III - "Uma" canalha é pior que "um" canalha? - Viagem romântica


Uma viagem romântica com todos os requintes que a ocasião merece. Presentes, passeio, jantar e muito romantismo... Assim foi, o dia dos namorados, que passaram juntos. Dias inesquecíveis, ele estava extremamente atencioso, gentil e amoroso. Dizia adorar dormir juntinho, queria estar sempre junto, pouco usava o celular, que antes recebia total atenção dele.
Durante toda a viagem ele estava doce, fazia todas as vontades de sua amada. Ela estava, realmente, balançada por aquele homem gentil e romântico, algo tão raro no mundo atual.
As questões profissionais estavam sempre presentes no dia-a-dia deles. Apesar de todo clima de romance, dispensavam algum tempo para as questões menos agradáveis...
Diante de algumas colocações e exigências, ela começa a se questionar sobre o real interesse dele. Por outro lado, ele esforça-se para estar presente e preencher o tempo livre dela com muito carinho e dedicação. Passeio na praia logo pela manhã, molhar os pés na areia para repor a energia. Um passeio num lindo dia de sol, apesar de ser inverno, a praia estava encantadora. O passeio de mãos dadas à beira mar foi repleto de romance. Uma suave conversa sobre a energia do mar, do sol e do bem-estar que aquele momento estava proporcionando.
Ele dizia que ela era um anjo que surgiu em sua vida para trazer a paz. Um homem educado mas, extremamente, irritadiço. Perdia a paciência facilmente e estava sendo doutrinado por ela, que dizia que  paciência é a mais importante das virtudes.
De volta a rotina, ele deixou escapar uma mentira. Ela, imediatamente, o repreendeu e esclareceu que mentira destrói qualquer relação. Ela exemplificou, dizendo que: _ Se estiver do lado direito da rua e me disser que está do lado esquerdo, estará mentindo. Não minta pra mim...
Ele respondeu: _ Eu não minto. Não minto nunca...
Mas, na realidade ele mentia...
No dia seguinte uma mensagem no celular dela, logo pela manhã:
_ “Não acredito... Mais uma noite em claro por sua causa”.
_ “Ultimamente só tenho pensado em você.”
Ela, quase que intuitivamente, responde:
_ “Consciência pesada, diante das maldades que você faz comigo”...
Ele avisa que viajará no fim de semana para participar de um evento.  Ela naquele momento não tem ideia do que significava a viagem...
Todos os dias ele a acordava com uma mensagem:
_ “Bom dia flor do dia. Já acordou? Você já está linda e maravilhosa? Adoro imaginar você, lembrar do seu cheiro, da sua pele macia”...
_ “Não vejo a hora de voltar para matar a saudade”...
_ “Estou morrendo de saudades”...