domingo, 6 de abril de 2014

Um "doce" canalha - Parte II - "Uma" canalha é pior que "um" canalha? - Encontros e desencontros

A semana seguiu com alguns encontros e desencontros. Naquele momento ela não queria nada além do que aconteceu naquele quarto de hotel. Os dias foram passando e ele se fazia presente em todos os momentos, com mensagens, telefonemas e convites para jantar, sempre muito convincente.
_ Você janta comigo hoje, fiquei aqui só para jantar com você...
_ Onde você quer ir?  Pergunta ela.
_ Onde você quiser. Estou a sua disposição, quero atender seus desejos. Você escolhe, eu passo para te pegar.
Eles vão jantar num restaurante que ela adora. O jantar é agradável, apesar do telefone dele tocar insistentemente, sem que ele atendesse. Ele a levou para casa, um beijo de despedida. Na manhã seguinte, mensagens no celular:
_ “Bom dia, flor do dia! Tenha um dia abençoado...eu estou aqui na estrada mas com o pensamento ai em vc...sds do seu cheirinho! Rs”.
_ “Sds da sua pele macia... do seu carinho e principalmente daquele olhar de esmeralda. Bjão”
Claro que todo mulher gostaria de acordar com essa mensagem.  Pena que era uma fala pronta, que provavelmente ele repetia sempre.
No fim de semana, eles aproveitaram as manhãs para ficarem juntos. Parecia que tudo estava indo bem, havia uma harmonia entre eles, uma sintonia. A única coisa que a incomodava era o telefone que tocava, insistentemente, nas horas mais inconvenientes.
Ela sabia que existia alguma estória, outra pessoa, ou outras pessoas... Mas, estava decidida que era apenas um momento, sem compromisso, sem cobranças... O tempo foi passando, o telefone foi tocando menos, as viagens acontecendo semanalmente, e eles já se comportavam como namorados, que não eram...
Certo dia, numa viagem eles tiveram a primeira discussão. Ele dizia ter um compromisso e a deixou no hotel, sozinha, no final da tarde. Tempo depois ela descobriu que o compromisso dele era com outra, que ele havia mentido e que naquela tarde e noite, tinha ido se divertir com outra pessoa. Pena que ela descobriu isso tão tarde...
No dia seguinte ele estava atrasado para o café da manhã, mensagem no telefone:
_ “Tudo bem com vc? Sds de dormir quentinho...”
Ela respondeu: _ Não. Estou descendo para tomar café porque termina as 10:00hs.
Ele chegou ao final do café, ela estava indiferente. Seguiram para os compromissos, a agenda estava cheia. Nem um contato, nem um gesto de carinho, o clima estava pesado. No final do dia, como se nada tivesse acontecido ele a convida para passarem a noite juntos, e com seu poder de sedução, característica de um canalha profissional, a convence a dar uma nova chance para aquela relação.
Aproveitam para ir ao litoral e passam uma agradável noite, depois de uma viagem longa, e de um jantar num restaurante  que ela não gostava, mas que era o único aberto aquela hora da madrugada, a noite segue intensa e repleta de cumplicidade.
No dia seguinte tinham reuniões independentes. Acordaram, tomaram café da manhã juntos, após uma noite intensa de muito romance. Ele sai para os compromissos, e ela aguardou por um amigo com quem tinha uma reunião no próprio hotel. Depois encontrou outro amigo e foram lanchar.
Durante a viagem de volta, ele estava doce, meigo e cheio de carinho. Voltou dizendo que já estava com saudades de dormir de conchinha, de ficar juntinho, de sentir o cheiro dela. Ele adorava o perfume dela.
Chegaram tarde, ele a deixou em casa e foi embora. No dia seguinte, ela acordou com a seguinte mensagem em seu celular:
_ “Estava dormindo bem nas últimas noites... Mas, essa noite parecia que faltava um pedaço de mim, faltava vc”...
_ “Bom dia! Flor do dia!”
_ “Adorei vc hj...#mtoapaixonadinho”
Ela:  _ “Bom dia! Só hj?”
_ “Claro que não, né? Todos os  dias”.
Depois disso ele disse que ligaria mais tarde, porque tinha vários compromissos durante o dia. Ela também tinha um dia agitado. Algumas mensagens e um café no final da tarde. Ele estava curioso para ter notícias sobre as agendas que ela faria. Parecia mais interessado nas agendas, nas reuniões com pessoas que interessavam para os negócios dele.

Por um instante, ela ficou em dúvida se o interesse era por ela ou pelas portas que ela estava abrindo..