sexta-feira, 28 de março de 2014

“Uma” canalha é pior que “um” canalha?

Pensando em alguns conhecidos e conhecidas...
O canalha é parte da cultura machista. Ser canalha é quase um elogio, disse um ser da espécie. As canalhas são mais delicadas, cometem pequenas maldades e com um requinte todo especial.
O tempo
O canalha não se preocupa com tempo, esquece o relógio. Um canalha certa vez disse a namorada: _ Estou na Rodovia Ayrton Senna...  Isso as 22:49h.  Considerando que ainda estava a 2:30h do seu destino, sua inquietante namorada calculou que chegaria a 1:19h da madrugada, exatamente. Como já estava na rua, aproveitou para passar em frente ao apartamento do doce canalha... Para surpresa dela o carro dele lá estava. Ela, na rua lateral, ligou e perguntou _onde você está mesmo? Ele respondeu: na estrada. Nesse momento um carro passa pela rua, e o som que ela ouve do outro lado é característico, ela faz a observação e ele no auge de sua canalhice confirma estar na estrada.
Ela vai para casa calmamente, aguarda por ele, que chega por volta de meia noite, de banho tomado e tudo. Ela sorri docemente,  é gentil como sempre, aproveita uma linda noite de sexo. Meiga, doce, dedicada e preocupada faz  algumas observação sobre o tempo que levou a viagem, e ele sustenta sua mentira, com toda a segurança de um canalha.
Com a tranqüilidade típica de uma mulher ferida, ela simplesmente anota.

As datas
Na semana seguinte o doce canalha, diz estar voltando de viagem.  Pede que sua namorada o aguarde. Ela desmarca seus compromissos e o aguarda. Horas mais tarde, arruma a desculpa de que o carro quebrou, para justificar que terá que mudar seu roteiro.
Tempos depois, numa reunião, ele esquece as datas e conta de sua agradável viagem com um amigo para uma praia afrodisíaca. Sua namorada, calmamente, anota.

O lugar
_ Amanhã estarei ai, estou morrendo de saudades... diz ele. Como toda mulher que tem um sexto sentido apurado, ela liga pra vizinha e pergunta se o viu. A vizinha diz que não, que tem tempo que não o vê. À noite, ela que não acreditou em uma palavra da vizinha oferecida, decide conferir. Surpresa, luz acesa no apartamento,  ele estava lá. Ela respira fundo, vai pra casa e apenas faz mais uma anotação.

O vinho
Dias depois ele chega à casa de sua namorada, novamente a viagem foi rápida demais, uma viagem de 4 horas feita em 2 h, quase um piloto de formula 1. Mais tarde a leva em seu apartamento, que na última visita, estava uma bagunça absurda e muito sujo, observação de uma mulher extremamente organizada.  Desta vez, tudo estava arrumado e sobre a pia uma garrafa de vinho vazia. Ela cheira a rolha, a garrafa e tem certeza que foi degustado um dia antes.  Ele com toda segurança de quem é capaz de enganar, diz que a garrafa estava lá há meses. Ela já sabia que ele tinha chegado uma noite antes, ele não suspeitava disso.

O banho
Ele sai do banho e ela observa que não é o perfume do sabonete usado por ele no banho matinal, faz uma observação e ele dá qualquer desculpa. Ela observa o tempo que o cabelo dele demorou a secar, ele alega que estava mais quente pela manhã. No meio do jantar, comete outro deslize, comenta sobre um conhecido que encontrara na café da manhã na padaria.  Ela, simplesmente, anota.

O cano estourado
Certa manhã ele diz que visitará uma obra, porque o pedreiro estourou um cano e não está conseguindo arrumar. Horas depois, diz que o fone está ficando sem bateria.  Está  muito nervoso porque o conserto está extremamente complicado, reclama de estar todo molhado e sujo, e avisa que irá demorar. A namorada, que tem uma boa noção de hidráulica, sorri. Mais tarde diz que arrumará algumas coisas no apartamento, e depois irá para jantarem juntos. Chega exausto, uma mulher sabe quando um homem está exaurido, e ele estava. Com todo carinho do mundo, ela faz um jogo de sedução para ter a certeza do quando desgastante foi arrumar o tal cano.
Na semana seguinte, ele esquece o cano estourado e diz que esteve na cidade vizinha, no mesmo dia e hora que deveria estar arrumando o tal vazamento. Ela saca seu caderninho e anota mais essa.

A secadora de roupas
Num fim de semana,  faz todo charme, pede aquele bolo que  adora, a seduz, agenda  hora para que possam ter uma tarde juntos, ela que tinha outros planos, cede.  No inicio da tarde, liga dizendo que esta sofrendo com a instalação da secadora de roupas, que se arrasta tarde a fora. O telefone toca e ele está tão absorvido com seus problemas elétricos e hidráulicos que não consegue atender.

A capa para chuva
Ela acorda com uma mensagem: Bom dia, flor do dia! Hoje será nosso dia... Que mulher não gostaria de acordar com uma mensagem dessas?  Mas logo após,  ele liga dizendo que precisa ir buscar uma capa, que só encontrará na cidade vizinha. E que volta em 2 horas. No meio da viagem manda uma mensagem errada, do tipo: “não me decepciona, banca a chique”. Imagina para que tipo de mulher um homem  mandaria uma mensagem assim...

A secretária
A secretária é sempre tratada com total falta de delicadeza. A namorada o repreende, ele diz que sabe como tratar uma funcionária. Mais tarde, revela que sua secretária era uma atendente  que recrutou. Daí reclama que ela o traiu no trabalho. Depois completa dizendo que a  tal fez um “trabalho espiritual” para ajudá-lo... Ajudar?

A doutora
Ao relembrar dessas cenas, a namorada conta  do dia que uma “amiga” decidiu cobrar um presentinho que ele deveria ter trazido da viagem. Ele ficara pálido e assustado. No final disse que era uma  funcionária da empresa que trabalhava. Ela sorriu, e perguntou o motivo de tamanho desconforto.  Ele disse detestar “baixaria”. Por que uma funcionária da empresa cobraria uma “encomenda” e ele ficaria tão assustado? Por que  acharia que poderia rolar uma baixaria? Mais uma anotação.

As amigas: a acéfala e a tipo “peito e bunda”
A cada conhecida que sua namorada apresentava, ele fazia um comentário inconveniente para um homem, não para um canalha. Falava que era bonita, comentava sobre os atributos da outra, isso quando não fazia ceninhas de galanteio na frente da namorada. Que ficava profundamente irritada. Agora quando a namorada, recebi uma investida de algum desavisado ele demonstrava seu total desconforto. Chegava a ser deselegante, seu ciúmes era marcante.

As ordinárias
Como todo canalha, o que importa não é qualidade e sim quantidade. Qualquer uma servia para, fosse quem fosse. Alias, parecia ter uma predileção por mulheres desqualificadas, do tipo que sai com dois, três na mesma noite. Aquelas que traiam o marido, o namorado, eram as prediletas.

Os empréstimos
Claro que como todo canalha, ele sempre estava com problemas financeiros. E sempre “solicitava” um pequeno “empréstimo” daquele tipo que vai e nunca volta...

A namorada gentil, meiga e carinhosa...
Depois de todos esses episódios, a namorada,  na sua complacência e com toda sua delicadeza, num único ato  de apenas 3 horas, resolveu tudo. Numa viagem,  decidiu dar o troco.
Ela agendou uma reunião com um homem lindíssimo e poderoso, daquele tipo que faz com que o outro macho da espécie se sinta diminuído. O doce canalha a acompanhou até a sala de espera. Ela entrou e 3 horas depois, entre uma e outra mensagem, saiu. Entrou no carro dele, no maior silêncio, quase 4 horas de viagem. Ao chegar à sua casa, disse: Você não vai entrar? Ele no auge de sua fúria de macho ferido, uma viagem inteira sem nenhum comentário sobre o que acontecera naquelas 3 horas intermináveis, em que  ficou sentado na sala de espera, com aquele ar condicionado gelado, sentindo-se diminuído, disse que não.
Ela sabia que ele tinha outro encontro marcado. Então, virou-se para ele e disse: Você nunca mais irá mentir, trair ou me manipular. Hoje acabou definitivamente.
Saiu do carro e, delicadamente, bateu com toda força a porta.
Entrou em casa, tomou um delicioso banho. Mandou uma mensagem reforçando que no dia seguinte não haveria volta. Sentou-se, abiu uma garrafa de vinho e degustou, lembrando das inesquecíveis 3 horas que passara aquela tarde.
Enquanto o doce canalha aguardava, na fria sala de espera. Ela havia saído para almoçar com um homem lindo, gentil, educado e que sabia agradar uma mulher. Aquele tipo que  faz uma mulher vibrar, sentir-se desejada, gostada, acarinhada.
Canalha? Não, apenas uma mulher que sabe anotar as canalhices de um homem e responder a elas com uma única ação e em apenas 3 horas...
E para finalizar com o canalha, ela usou seu charme e num telefonema terminou  com as chances dele assumir aquele cargo tão desejado. Depois, entre uma e outra mensagem para aquele lindo homem, com quem tinha passado maravilhosas horas, terminou sua garrafa de vinho, que tinha um sabor incomparável...
Nunca subestime uma mulher...

Martha Mendonça, autora do Livro “Canalha, substantivo feminino”, que inspirou a série da GNT, As Canalhas, responde a pergunta inicial: Depende dos canalhas, de ambos os lados. As canalhas se acham as piores, pelo menos é o que acham os homens. Costumo dizer que os homens são mais canalhas na quantidade. Já as mulheres são mais canalhas na qualidade”.

Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência...
Claudia Paschoal