domingo, 8 de agosto de 2010

A mulher e o tempo
Na juventude, bonita e faceira, aproveitou sua beleza para realizar seus sonhos. Conquistou fama e sucesso, realizou-se profissionalmente. Abandonou seu amor para buscar seu espaço no mundo das artes. Usou seu poder de sedução para aproveitar o melhor dos homens que por sua vida passaram. Foi amada e traída, nunca levou a sério seus casos, suas paixões.

Aproveitou o frescor dos anos, a beleza e sedução, usou o corpo e o encanto, para extrair dos muitos homens que encantou e dos pobres desgraçados que arrasou a realização dos seus desejos.

Acreditou que conseguiria com sua beleza conquistar seus sonhos. O tempo passou, a idade chegou. Percebeu que seu encanto acabou. Ao olhar o espelho, viu o tempo que passou. Depois de tantos homens, do amor que abandonou, de ter conquistado e realizado tantos sonhos, olhou pro lado e viu sua triste realidade. Estava só.

Ao olhar pra trás, procurou entre tantos seu único amor. Sentiu saudades do que viveu e do que perdeu. Viu seus erros e poucos acertos, sua realização foi conquista a alto preço.

Procurou o velho amor. Encontrou um homem forte e apaixonado, que mesmo tendo sido abandonado, em seu coração carrega bem guardado aquele velho amor. Sente a felicidade de ter sido lembrado, entre tantos homens, como se ela estivesse fazendo um favor.

Se agarra àquele homem, reencontra sua dignidade, levanta a cabeça, deixa falar a voz do coração. Aprendeu que o tempo passa. E que foi premiada, por ter amado e por ter sido amada por aquele homem, que lhe perdoou e amou.

Sonhar

O sonho hipnotiza o ser, a alma, o desejo
Um impasse neste sonho... a realidade
Pressentir o desejo de sonhar
Venerar o sonho magnífico, soberbo
Sonhar é a façanha do ser ardiloso,
Que intimida o desejo
Sonho estático!
Sonho poético!
Sonho vil!
Um sonho, um pranto, um encantamento
Sonho é fantasia, e infinito.
No meu âmago ferve o desejo de sonhar com você... um anônimo ser
Uma ironia do destino nos faz sonhar... momento de angustia e solidão do sonho assombroso.
O coração em evolução sonha eufórico, convicto em decifrar este sonho de amor
Voraz a solidão procura aniquilar este sonho a dois, mas o sonho é fabuloso, mito e estimula o desejo do coração.
A mente devaneia, pulsa leviana.
O coração bate descompassado.
O sonho do desejo de dimensão desmedida transborda pelo corpo.
O sonho estimulante que domina os impulsos, a respiração, que manipula os movimentos.
O instinto diz que é o sonho.
Meditar, refletir sobre o sonho.
Intervir no sonho...
Criar expectativa...
Ironicamente sonhar com a ingenuidade da criança e a sabedoria do velho.
Plagiar o sonho para a vida real, esta alegoria.
Sonho dócil, discreto, vigoroso
Reflexo felino um misto desejo.
Sonhar é poder infringir todas as barreiras do tempo e do espaço.
Estar eufórico ao integrar o mundo de sonho.
Sobreviver ao sonho real e acidentalmente participar do sonho irreal.
Conquistar este campo do prazer de sonhar.
No ápice deste sonho, sonhar com o indecifrável
Enlouquecer com o sonho!
Teoricamente sonhar com o impossível, irreal
Simular o sonho.
Concentrar o querer, o ser, o desejo no sonho infinito
Venerar o sonhar
Enlouquecer e conter o sonho
Uma hipnose, uma regressão...
Sonhar com o que passou, uma adivinhação...
Sonhar com o futuro.
Uma realidade...
Sonhar com o hoje, o agora, o real, você...
Um louco sonhador
Sonhar, sonhar, sonhar...